No Ceará, debate e luta

Na noite de 24 de abril, militantes do Diálogo e Ação Petista de Fortaleza reuniram-se para avaliar a situação política, o PED e se organizar para os piquetes da greve geral.

O companheiro Petrônio Soares abriu a reunião pautando um conjunto de itens que os companheiros buscaram abordar na discussão: o aprofundamento da crise das instituições, o lugar das últimas denúncias com ameaça da prisão de Lula e a resposta do PT. O PED deu uma resposta?
A maioria dos presentes considera que estas questões passaram longe do PED, o mais destituído de debate político da história, refletido numa redução importante na participação, inclusive em Fortaleza. Mas a disposição é de lutar para que os encontros estaduais deem resposta aos principais problemas.
O problema da fraude no PED foi objeto de uma discussão particular. Os mili­tantes acham obrigatório que seja tudo apurado, mas não acham justificadas as ameaças de rachar o partido. A negativa de apurar, contudo, pode levar a uma situação de extremo perigo para o PT.
A situação em Fortaleza foi considera­da como ilustrativa do caráter degradado do PED, com a interferência da prefeitura na votação dos filiados. O resultado de Fortaleza se encontra sub judice.
Num segundo ponto da pauta, os presentes organizaram sua participação nos piquetes de várias categorias e na concentração, após isso, no piquetão da CUT para garantir durante o dia o fechamento do comércio do centro de Fortaleza.

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.