Organizando a luta no bairro em BH

Grupo de base do DAP discute problemas que atingem a vida das mães e crianças do Jardim dos Comerciários, em Belo Horizonte: falta de vacinas e falta de vagas nas creches e escolas. Leia a reportagem.

Como surgiu o grupo de base

Faz algum tempo que militantes do DAP de Belo Horizonte desenvolvem um trabalho no jardim dos Comerciários, região de Venda Nova. Começou com a formação do Comitê Lula Presidente, que desenvolveu a campanha “Eleição sem Lula é fraude”, em seguida com o envolvimento de todos nas eleições de 2018 com Haddad presidente e, antes do PED, a maioria dos membros filiou-se ao PT para integrar e votar nas chapas do DAP.

O resultado de todo esse processo foi a formação do grupo de base do DAP no jardim dos Comerciários, que realizou sua primeira reunião com a participação do deputado Betão e discutiu a situação da classe trabalhadora frente aos ataques dos governos Bolsonaro e Zema, governador de Minas Gerais.

Falta de vacinas no bairro

No debate, a companheira Patrícia, mãe de 3 filhos, pôde exemplificar como os cortes de verbas estão atingindo a vida das mães. Elas não estão conseguindo vacinar as crianças em 0 e 6 anos. “Quando fizemos a reunião do DAP, estavam faltando 3 vacinas mais importantes para as crianças. A tríplice viral já estamos encontrando, a pentavalente tem em pouquíssima quantidade e a tríplice bacteriana não tem nem previsão. Uma vizinha, cansada de esperar, resolveu pagar R$ 195,00 para vacinar a filha. Mas, e quem não tem dinheiro, fica sem vacinar seus filhos? Vamos deixar que doenças que não atacam mais as crianças voltem com força para as nossas vidas?”

DAP discutirá como prosseguir a luta

O grupo de base do DAP discutirá o assunto na próxima reunião para ajudar a companheira Patrícia na continuidade do trabalho que ela já iniciou com as mães do bairro. “Quero mesmo discutir a situação na reunião que vamos realizar, porque tem problema com o posto de saúde, mas tem também nas escolas públicas. Não tem vaga em creches e escolas do 1º grau. Nós, mulheres, ficamos com a maior responsabilidade com as questões de saúde e educação dos nossos filhos e a gente vai ter que cobrar solução. E não adiante esperar por conselheiro de saúde. Tem aqui no bairro, mas se sabem do problema discutem lá no Conselho. Com a gente ninguém conversa”.

Os militantes que participaram do DAP do jardim dos Comerciários, além dos problemas destacados pela Patrícia, discutirão a situação política após a libertação do Lula e elegerão um representante para participar do Encontro Nacional do DAP.

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: