DAP dá passos para um Comitê contra a privatização da Sabesp em Taboão

Chegou a ter doze trabalhadores a reunião convocada pelo DAP para discutir a conjuntura política e eleitoral, e a questão da Sabesp.

Markus Sokol apresentou e atualizou a Declaração do 9º Encontro Nacional do DAP que avaliou o governo Lula, seus programas sociais, mas chamava à reflexão sobre outros pontos, como a ausência de reformas estruturais nas propostas do governo, enquadrado pelo déficit zero para 2024 – o “novo arcabouço fiscal” – a relação promíscua com o Centrão.

Seguiu-se uma discussão participativa que verificou as dificuldades na conjuntura. Mas, também, que começam cobranças ao presidente Lula, como a do próprio Sindicato dos Metalúrgicos, que pede providencias para responsabilizar o patrão da Multiteiner.

Carta a Lula

Há mais de um ano, o patrão da Multiteiner provocou um acidente fatal para 9 trabalhadores com mais 28 acidentados, por levar os empregados para o auditório (irregular) para ouvirem o seu candidato bolsonarista (crime eleitoral). O auditório desabou.

Desde então, onze órgãos estaduais e federais enviaram fiscais, o próprio ministro do Trabalho esteve no sindicato no Dia Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho, mas nada aconteceu. Por isso, a cobrança numa Carta a Lula, enviada e divulgada na semana anterior.

Impacto da greve unificada

Também se discutiu a situação política, sublinhando que a chamada correlação de forças “institucional” pode não corresponder a correção de forças “social”, e que não devemos nos imobilizar pela maioria reacionária do Congresso que é um produto do sistema eleitoral que tem que mudar.

Também se destacou a importância da revogação da reforma trabalhista e da reforma da previdência, ambas muito sentidas no ambiente fabril. Ao passo que a “campanha” da redução dos juros não chegou lá.

Medidas práticas

Era visível o impacto entre os presentes da greve unificada contra a privatização da Sabesp, da CPTM e do Metrô, chamada por quatro sindicatos de diferentes centrais sindicais, na terça feira anterior. Os presentes decidiram trazer a campanha contra a privatização da Sabesp para a cidade – já há abaixo-assinados em algumas portas de fábrica. Saiu um compromisso de fazer contatos para formar um Comitê do Taboão e região, contra a privatização da Sabesp e em defesa do transporte público – para uma cidade como Taboão, se destacou a luta pela Tarifa Zero, desde já até as eleições do ano que vem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: