“Hoje” retrata repressão da ditadura

Filme “Hoje” (2011), de Tata Amaral, é um drama que retrata as consequências da repressão da ditadura. Dica para assistir durante as férias de final de ano.

O filme

Militantes contra a ditadura, o casal Vera (Denise Fraga) e Luiz (Cesar Troncoso) haviam sido presos e torturados. Luiz desaparece em 1974. O filme se passa em 1998, quando Vera obtém uma indenização após o Governo Federal reconhecer Luiz como morto pela ditadura.

Com o dinheiro da indenização, Vera compra um apartamento. No dia da mudança, Vera exprime os conflitos, dúvidas e as sequelas deixadas pela repressão do regime militar, em particular pela perda de seu companheiro Luiz.

Tudo se desenvolve no diálogo com o ex-companheiro, num processo em que, ao remoer o drama passado ainda presente, Vera vai tecendo o caminho para chegar no dia de hoje, numa ensolarada avenida São Luiz, no centro de São Paulo. Tata Amaral dirige o filme como quem tece, junto com Vera, a superação de um drama.

Dedicado a Serguei

O filme é dedicado a Serguei, Luiz Carlos, seu companheiro, morto em 1979, quando ambos eram militantes da Organização Socialista Internacionalista, hoje Corrente O Trabalho.

O que diz a cineasta

“‘Hoje’ fala da necessidade de iluminarmos o passado. Vera – e acredito que a sociedade brasileira – não pode mais seguir em frente sem levantar o que havia escondido debaixo do tapete. A verdade é revolucionária! A história de amor de Vera e Luiz vem à luz neste momento, quando todos estamos diante dos trabalhos da Comissão Nacional da Verdade. Fiat lux”.

Cartaz do Filme Hoje, de Tata Amaral
Cartaz do Filme Hoje, de Tata Amaral

Com base na resenha publicada na edição 727 do Jornal O Trabalho

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: