Moção contra a federação recebe primeiras assinaturas

Poucos dias antes da reunião do Diretório Nacional do PT (16 de dezembro), militantes começam a se pronunciar contra a participação do PT na federação proposta pelo PSB. A moção “Alerta! Não é Federação do PT com o PSB!”, proposta pelo DAP, recebeu as primeiras assinaturas;

Abaixo, republicamos o comunicado, seguido das assinaturas.


Alerta! Não à Federação do PT com o PSB!

A Comissão Executiva Nacional do PT encaminhou uma proposta do Partido Socialista Brasileiro de formação de uma federação partidária englobando o Partido Comunista do Brasil e outros partidos, em “consultas” com o Tribunal Superior Eleitoral. A proposta está sendo defendida na imprensa por parlamentares do PT.

O Comitê Nacional do DAP, reunido em 30 de novembro, adotou posição frontalmente contrária à entrada do PT nessa federação. A lei da federação, adotada em setembro, vincula os partidos componentes da nova “agremiação partidária” por um mínimo de 4 anos – desde os senadores e deputados federais, até os deputados estaduais e vereadores, inclusive. A penalidade para quem sair da “agremiação” é a perda do Fundo Partidário e do direito de coligação. Luis Roberto Barroso, o presidente lavajatista do TSE, quer regulamentar até março (prazo máximo para valer nesta eleição), a federação com estatuto, programa, direção e finanças.

O que vai ser do partido daqui a quatro anos?

O entusiasmo de membros da cúpula do PT com a proposta – é a “governabilidade de Lula presidente” ou, então, é a “frente de esquerda” – é totalmente irresponsável com a base do partido que não será consultada. A ameaça concreta desta federação é a de aprisionar o PT numa camisa-de-força.

Sim, o sistema político do país está podre. Sob Bolsonaro, após 5 anos de “estado de exceção”, as instituições estão em frangalhos. Somos a favor de uma profunda reforma política, mas com consulta ao povo. Da nossa parte, defendemos uma Assembleia Constituinte Soberana e um novo governo com Lula Presidente. Mas não concordamos que o TSE extrapole seu mandato e atropele o Congresso Nacional em “consultas” à cúpulas partidárias.

E, principalmente, somos contrários a que o PT embarque nessa aventura de federação com o PSB de Beto Albuquerque (RS), Marcio França (SP) e Júlio Delgado (MG), com ou sem o famigerado ex-governador Alckmin (SP), como aventa a imprensa. Alckmin, que alguns do PT querem como vice de Lula, candidato a ser um novo Temer!

 “Lula saiu da cadeia anti-imperialista” (Fernando de Morais). Pois, justamente, somos a favor de uma frente com programa anti-imperialista com o PSOL, o PCdoB e os setores democráticos e populares do PSB, PDT e outros. Para reconstruir o que foi destruído e fazer as reformas que não foram feitas.

A discussão está aberta. Todos os filiados – diretórios, setoriais, parlamentares, quadros e dirigentes – devem se pronunciar antes que seja tarde. A CEN se reúne em 10 e o Diretório Nacional 16 de dezembro.

Em defesa do PT!

Não à Federação com o PSB!

09 de dezembro de 2021


Primeiras assinaturas

Luiz Eduardo Greenhalgh, Misa Boito, Markus Sokol, José Genoíno, Julio Turra, Valter Pomar, Adriano Diogo, Jilmar Tatto, Jandira Uehara e João B. Gomes, (SP); José Fritsch, Lino Peres e René Munaro (SC); Paulo Farias e Tarcísio Zimmermann (RS); Natalia Sena (RN); Roberto Salomão (PR); Betão Cupolillo e Shakespeare Martins,(MG).

6 thoughts on “Moção contra a federação recebe primeiras assinaturas

  • 10 de dezembro de 2021 em 09:24
    Permalink

    Essa questão é complexa para se opinar no primeiro impulso, E necessário sernsubmetido a seminários na base, nos DMs .

    Resposta
  • 10 de dezembro de 2021 em 12:08
    Permalink

    Corre-se o risco de haver um engessamento das políticas públicas do PT, via Governo Lula. Uma espécie de parlamentarismo de gestão. Além de uma enorme possibilidade de golpe com um vice tão canalha quanto foram outros.

    Resposta
  • 10 de dezembro de 2021 em 19:45
    Permalink

    Há que se ter ousadia, mesmo acreditando no etapismo como forma revolucionária de avançarmos na organização dos povos. Não seria só um passo atrás, seria um passo no abismo. Há reflexão é : Por conta da formatação dom estado brasileiro de que ninguém governa sem uma coalizão, somos obrigados a compor com forças, fora do espectro da esquerda, porque a esquerda não tem 50% dos votos do país. Agora dentro da nossa casa, vamos manter a sanidade revolucionária, por favor.

    Resposta
  • 11 de dezembro de 2021 em 18:11
    Permalink

    Concordo com o Manifesto!

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2021 em 21:43
    Permalink

    Não concordamos com um acordo agora, sem maiores discussão com as bases do Partido. Em várias reuniões que participei, percebi uma dúvida muito grande das companheiras e companheiros. Não estão entendo porque o PT, o Partido com a maior bancada, precisa aliar ao PSB.
    Fernando Baesso, presidente do PT em Cataguases-MG.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: